O Minuto Notícia ×

‘Bater palma para Renan? Só se eu fosse muito louca’, diz a mãe do ator Paulo Gustavo

D. Déa detonou plano da CPI de fazer uso político da morte de famosos

Autor:
Paulo Gustavo ao lado de d. Déa, que o inspirou a criar o personagem de “Minha mãe é uma peça”.

A mãe do ator Paulo Gustavo, Déa Lúcia, recusou convite para participar do encerramento da CPI da Pandemia, no Senado, no próximo dia 19, afirmando que o trabalho dos senadores não pode ser levado a sério.

“Não vou participar de jeito nenhum”, disse ela em entrevista à coluna de Patrícia Kogut, do jornal O Globo. “Essa CPI virou uma CPI política, comandada por Renan Calheiros e Omar Aziz. Você acha que é séria e que vai dar em alguma coisa? Já estão em ano eleitoral. Não vou me prestar a isso.”

Ela promete fazer seus discursos “no momento certo, nas minhas redes, e como fiz no Criança Esperança e no programa da Ana Maria (Braga).”

“Me meter com política eu não vou”, afirmou.

Dona Déa Lúcia, que inspirou Paulo Gustavo na criação da personagem da série de filmes e peças teatrais “Minha mãe é uma peça”, campeões de bilheteria, deixou claro que quewr distância de Renan Cakheiros:

– Se aparecer, vou para as redes sociais. Mas bater palma para Renan Calheiros? Só se eu fosse muito louca. Só se fosse para o Paulo Gustavo ressuscitar e dizer: “Mãe, vou dar na sua cara”.

Calheiros pretendia também a presença da atriz Glória Menezes, viúva do ator Tarcísio Meira. Mas a cúpula da CPI percebeu que a tentativa de usar a. morte de pessoas famosas em um ato político e decidiu cancelar a programação.

Ela acha que há elementos suficientes para o impeachment do presidente Jair Bolsonaro, mas o Centrão “não tem poragem”, e gosta da ideia de uma candidatura de terceira via.

 


Compartilhar


Veja Também

Deixe um Cometário